revistadestaque@terra.com.br
(67) 3384-4384

Capital pode receber R$ 100 milhões em emendas

Bancada federal se reuniu para definir como deve encaminhar os R$ 247,6 milhões de MS

17 de Outubro de 2019
10:00
Foto: Cleia Viana / Câmara dos Deputados

Os deputados e senadores sul-mato-grossenses decidiram que R$ 100 milhões dos R$ 247,6 milhões em emendas impositivas ao Orçamento da União de 2020 a que a bancada tem direito serão destinados a Campo Grande. Outros R$ 60 milhões serão para equipamentos das áreas de saúde, educação, agricultura e segurança pública e R$ 40 milhões serão destinados para obras em rodovias federais. Os R$ 47,5 milhões restantes serão definidos nos próximos dias, de forma a atender entidades e órgãos públicos que nas últimas três semanas apresentaram seus projetos para a bancada federal. Ontem, foi a vez da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), do Ministério do Desenvolvimento Social, o Hospital de Amor, e dos prefeitos de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), e de Jaraguari, Edson da Farmácia, mostrarem suas demandas. Esses encaminhamentos relativos à distribuição dos recursos foram adotados na manhã de ontem, em reunião organizada pelo coordenador da bancada, senador Nelson Trad (PSD). “Os R$ 247,6 milhões destinados à emenda impositiva da bancada federal de Mato Grosso do Sul foram distribuídos em quatro áreas estratégicas – segurança pública, saúde, educação e infraestrutura –, deuma maneira que poderemos liberar recursos para os municípios e as entidades escolhidas”, explicou. “Nós colocamos um valor para a Funasa que contempla o Estado todo, de modo a atender os locais que precisam de equipamentos”, disse. O coordenador explicou que foram garantidos recursos para ações de infraestrutura para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Ao todo, serão R$ 40 milhões para a autarquia ter condições de executar obras em rodovias federais que cortam o Estado. Outra preocupação da bancada foi assegurar que o recurso atenda todo o Estado, sem excluir nenhuma cidade, logo, serão destinados R$ 60 milhões para compra de equipamentos das demandas nos setores da educação, saúde, agricultura e segurança pública. O coordenador da bancada enfatizou que “a execução e aplicação dos recursos serão efetuadas pelo governo do Estado e pelos órgãos administrativos que foram contemplados, como Funasa e Dnit, seguindo a orientação dos parlamentares da bancada. Foi um consenso inteligente e que dará um reforço de desenvolvimento para Mato Grosso do Sul”. Para a deputada federal Rose Modesto (PSDB), o objetivo principal foi atingido, o de atender as áreas que têm maior demanda no Estado. “A reunião foi importante porque definimos os parâmetros para apresentarmos as emendas, possibilitando garantir mais recursos em áreas prioritárias para a população de Mato Grosso do Sul”, destacou. Campo Grande Embora o prefeito de Campo Grande tenha solicitado R$ 86 milhões para saúde, agricultura familiar e infraestrutura urbana, os parlamentares definiram que devem ser destinados R$ 100 milhões, com objetivo de assegurar a execução dos pleitos de Marcos Trad. O gestor municipal explicou que R$ 60 milhões serão para obras de asfaltamento e outras obras na “saída do Imbirussu, no acesso alternativo das Moreninhas, o término do asfaltamento de várias ruas em pontos diferentes da cidade”. Segundo Marcos Trad, nos asfaltamentos anteriores alguns trechos de rua ficaram só no cascalho, como no Jardim Itatiaia, onde “tem 15 quadras, asfaltaram 10 e deixaram cinco. Vamos pegar o dinheiro para asfaltar esse trecho”, disse. Prazo As emendas da bancada federal do Estado – podem ser até 23 – serão entregues até o dia 23 deste mês, quarta-feira, na Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional (CMO). Em seguida, haverá a publicação e a CMO analisará as emendas para garantir que estejam dentro dos padrões. E então o texto contendo as emendas de todas as bancadas federais dos estados e as individuais dos parlamentares segue para votação em plenário. Participantes Participaram do encontro a ministra Tereza Cristina, a senadora Simone Tebet (MDB/MS) e os deputados federais Fábio Trad (PSD/MS), Beto Pereira (PSDB), Dagoberto Nogueira (PDT), Dr. Luiz Ovando (PSL), Rose Modesto (PSDB), Loester Trutis (PSL), Bia Cavassa (PSDB/MS) e Vander Loubet (PT). Fonte: Correio do Estado

Matéria não encontrada!