revistadestaque@terra.com.br
(67) 3384-4384

Ida de Miglioli para o Solidariedade reúne diversas siglas

Nova direção tem vereador Pappy como presidente estadual

26 de Outubro de 2019
10:45
Valdenir Rezende/Correio do Estado

Ida de Marcelo Miglioli para o Solidariedade reúne diversas siglas durante convenção do partido. Estão presentes no evento, que está ocorrendo no Clube União do Sargentos, na manhã deste sábado (26), os parlamentares Enfermeira Cida do Amaral (PROS), Rinaldo Modesto (PSDB), Gerson Claro (PP), Coronel David (PSL), Luiz Ovando (PSL), João César Mattogrosso (PSDB), João Rocha (PSDB), Lucas de Lima (SD), Paulo Mattos (PSC-MS), Delegado Wellington (PSDB), vereador Cazuza (PP), além do vereador Pappy e o deputado estadual Herculano Borges, ambos do Solidariedade, entre outros. O vereador Pappy é o nome escolhido para comandar a sigla no âmbito estadual, Herculano Borges é o 2º vice-presidente e José Geraldo Rodrigues filho como 1º vice-presidente. A convenção vem como foco principal as eleições de 2020 com a definição do novo diretório e a filiação de novos integrantes. De acordo com o deputado estadual Herculano Borges, o partido terá um nome para disputar a Prefeitura de Campo Grande no ano que vem e a aposta da sigla será o ex-secretário de obras do Estado, Miglioli. "Temos orientação de lançar candidatura na majoritária, orientação da nacional. O projeto do solidariedade é Campo Grande, pensar grande. Nós queremos fazer política, não falando de pessoas mas sim de projetos”, afirmou Herculano Borges. O vereador César Mattogrosso disse que política se faz conversando e que "Marcelo teve uma história pequena pelo PSDB, mas uma grande com o governador. Tem total prestígio, não somos inimigos”, afirmou. A presença do deputado estadual Coronel David, na convenção, gerou dúvidas quanto a possibilidade de o parlamentar migrar para o Solidariedade, visto que ele tem manifestado insatisfação com alguns correligionários do PSL, porém David disse que só foi ao evento para "prestigiar o Miglioli". "O meu partido continha sendo o PSL”, reforçou. Em 2018 o ex-secretário do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disputou o Senado Federal e obteve 347,861 votos, porém ficou atrás dos senadores Nelsinho Trad (PSD) e Soraya Tronicke (PSL). O presidente nacional do Solidariedade, deputado federal Paulo Pereira (SD-SP), conhecido como Paulinho da Força, chegou no meio da convenção anunciando a composição do diretório. Fonte: Correio do Estado

Matéria não encontrada!