revistadestaque@terra.com.br
(67) 3384-4384

Sul-mato-grossense que mora no Peru realiza sonho de ver Flamengo jogar "em casa"

Flamenguista desde criança, Alex Fleitas não esconde a felicidade de ver uma final de perto

23 de Novembro de 2019
13:40
Foto: Reprodução / Instagram

Flamenguista desde criança, o sul-mato-grossense Alex Fleitas, 27 anos, nem nos seus maiores sonhos poderia imaginar a surpresa que o destino preparou para ele, a oportunidade de assistir o Flamengo em uma final da Libertadores no “quintal de casa”. Morando há cerca de 3 anos no Peru, ele terá a oportunidade de acompanhar o jogo no estádio e, quem sabe, ver o Flamengo campeão de pertinho. A partida, inicialmente marcada para Santiago, no Chile, foi alterada para o Estádio Monumental de Lima devido a conflitos no Chile. Jogo, contra o River Plate da Argentina, começa logo mais, às 16h, no horário de MS, e Alex já está no estádio com a ansiedade a mil. Alex nasceu em Ponta Porã, mas cresceu em Campo Grande, cidade onde veio morar ainda criança, aos 10 anos. Na Capital, ele conheceu a esposa, peruana, fato este que o fez trocar a Cidade Morena pela capital do Peru, onde mora desde 2016. A história com o Flamengo começou ainda no município de fronteira com o Paraguai, quando, ainda criança, ele ganhou a primeira camisa do rubro-negro, presente de uma tia e, como define, pegou amor pelo clube. “A partir daí sempre fui acompanhando. Minha família por parte de mãe é rubro-negra e a gente sempre assistia os jogos. Meu padrinho, meus tios, a gente sempre assistindo e foi crescendo o amor, só aumentando”, conta Alex. Apesar de assistir todos os jogos pela televisão e acompanhar o time, ele nunca teve oportunidade de assistir uma partida no estádio. Quando a Conmebol divulgou que a final seria realizada no Chile, Alex chegou a comprar passagens para o País, mesmo sem ter conseguido ingressos. A mudança “Eu ia na loucura de tentar conseguir o ingresso lá, porque já tinha esgotado o ingresso, mas eu ia com minha mulher, minha filha, a gente tudo ia pro jogo”, disse. Quando, devido a conflitos no Chile, a Conmebol mudou o local da partida para Lima, no Peru, Alex não viu a grande oportunidade de ver o seu time em casa e tratou de comprar logo os ingressos para não correr o risco de esgotarem novamente. “Quando eu descobri que o jogo ia ser aqui foi como comemorar um título, porque é na minha casa, então para mim foi como um título, foi lindo demais. Hoje é a primeira vez que eu vejo o Flamengo de perto, sempre acompanhei pela TV e nunca tive a oportunidade e hoje graças a Deus tem um jogo na minha casa praticamente, é muita felicidade”, comemora. A partir daí, com tudo preparado para o jogo, resta a ansiedade, que não deixa o sul-mato-grossense fazer outra coisa que não seja se preparar para a grande final e “respirar Flamengo”. Na casa dele, estão hospedados outros oito flamenguistas que saíram de vários locais do Brasil para torcer pelo time no país vizinho. “A minha expectativa é das melhores, superconfiante, apesar de ser um clássico Brasil e Argentina. Os argentinos jogam muito bem a libertadores, mas eu creio no nosso time, a gente montou uma seleção e acho que a gente tá com tudo, vamos que vamos”, relata Alex, que aposta em um placar de 3 a 0 para o time carioca. O sul-mato-grossense afirma ainda que seu maior sonho sempre foi assistir uma partida do Flamengo no Maracanã lotado, mas a oportunidade de ver uma final de Libertadores na cidade que escolheu para morar e que foi acolhido, superou tudo que ele sempre desejou. “Eu tinha um sonho e Deus me preparou algo maior. Eu estar em uma final de Libertadores aqui [no Peru]. O primeiro jogo da minha vida é uma final de Libertadores é mais do que um sonho. Os sonhos que eu sempre sonhava não se comparam ao que estou vivendo hoje, é muito lindo”, afirma, não escondendo a ansiedade e alegria. Além da possibilidade de comemorar o título de campeão da Libertadores da América, o Flamengo também pode se sagrar campeão brasileiro neste domingo (24), caso o Palmeiras não vença o jogo contra o Grêmio. Para o flamenguista, dois títulos no fim de semana seria o resultado mais que perfeito. “A ansiedade está a mil para ser campeão sem jogar, estamos aqui super ansiosos”, finalizou. Fonte: Correio do Estado

Matéria não encontrada!