revistadestaque@terra.com.br
(67) 3384-4384

Após mau cheiro e água turva, peixes aparecem mortos no Anhanduí; veja vídeo

Agentes da PMA estiveram no local e Semadur e Imasul mandarão técnicos para verificar situação

26 de Novembro de 2019
10:40
Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado

Vários peixes apareceram ao longo do rio Anhanduí, em Campo Grande, desde o início da tarde de segunda-feira (25). A situação tem revoltado a população que vive às margens do local, que afirmam que o fenômeno foi registrado logo após sentirem mau cheiro vindo do local, que estava com as águas turvas. Segundo eles, a situação começou a ser registrada desde as 12h de segunda-feira. “Eu vim 7h aqui, como faço sempre e a água estava limpa e os peixes vivos. Depois, por volta das 12h, comecei a sentir um cheiro muito forte dentro de casa e quando vim ver os peixes estavam se debatendo”, contou o aposentado Egídio Soares dos Santos, 55 anos, que há 20 anos mora em frente ao rio, localizado na avenida Ernesto Geisel. A informação é confirmada por Marcos Pereira, 58 anos, que possui uma oficina mecânica em frente ao Anhanduí. “A água estava leitosa e o cheiro era tão forte que ardia na garganta. Até o volume da água aumentou, isso tudo começou por volta das 12h, devem ter despejado algo na água”, acredita. Conforme o comerciante, no domingo ele tinha ido até a beira do rio e vesto que a água estava transparente e que havia muitos peixes menores, o que indicava reprodução dos animais. A reportagem do jornal Correio do Estado esteve na manhã desta terça-feira (26) no local e identificou vários pontos onde são encontrados peixes mortos. Uma grande quantidade estava na acumulada entre a Rua Bom Sucesso e Rua do Aquário, no bairro Marcos Roberto. “É uma judiação isso acontecer”, lamentou Egídio. Enquanto a equipe estava no local, dois agentes da Polícia Militar Ambiental (PMA) estiveram no local para fazer imagens da situação. Como a PM não faz investigações, as fotos serão enviadas para que o Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) analise o material. Em contato com a Prefeitura de Campo Grande, por meio de sua assessoria de imprensa, a informação é de que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur), que realiza o monitoramento da qualidade da água na região foi notificada e “encaminhará técnicos no local para verificar a atual situação. Em relação à questão do manejo da fauna, a competência é do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul)”. O órgão estadual, por sua vez, também garantiu que técnicos iriam ao local para investigar o que teria causado a mortandade dos peixes, além do mau cheiro e da água suja. Fonte: Correio do Estado

Matéria não encontrada!