revistadestaque@terra.com.br
(67) 3384-4384

Mutirão da prefeitura vai vistoriar construções e imóveis abandonados

Município estuda ainda cobrar do proprietário os custos pela limpeza desses locais

08 de Janeiro de 2020
18:23
Foto: Álvaro Rezende/Correio do Estado

A prefeitura de Campo Grande realizará nesta quinta (9) e sexta-feira (10) construções inacabadas e imóveis comerciais abandonados durante ação de combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya. O trabalho será feito pela equipe de Imóveis Especiais da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais (CCEV) da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau). O mutirão será realizado de forma pontual em locais previamente identificados e catalogados pela equipe da coordenadoria como de risco em potencial, considerando a situação de abandono, depredação, presença de entulhos e materiais inservíveis potenciais criadouros do mosquito. Nestas situações, segundo o serviço, há cerca de 400 imóveis catalogados. O Correio do Estado noticiou nesta quarta-feira (8) que a prefeitura estuda implementar uma medida considerada impopular: cobrar dos proprietários de imóveis fechados a limpeza e o combate aos focos do mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e zika vírus. “Estamos estudando essa possibilidade legal, porque não é justo dividir esse custo com todos os contribuintes”, destacou o titular da Sesau, José Mauro de Castro Filho. Uma reunião envolvendo várias secretarias e a Procuradoria Geral do Município (PGM) prevista para acontecer na sexta-feira deve discutir, entre outros pontos, os aspectos legais para que o município possa aplicar sanções aos proprietários destes imóveis. Durante os trabalhos os agentes devem atuar na identificação e eliminação de depósitos e focos do mosquito, além do isolamento de vasos sanitários, banheiras, caixas d'água, entre outros recipientes. DADOS Em 2019 a equipe de Imóveis Especiais foi responsável por atender 1513 denúncias do período de abril a dezembro quando as atividades foram estendidas a toda Campo Grande, sejam estas vindas dos servidores de campo, demanda gerada por denúncia de ouvidoria ou de levantamento da própria equipe, sendo eliminados 974 focos em depósitos diversos. Levantamento feito pela equipe de Imóveis Especiais iniciado em outubro de 2018 apontou a existência de 4.200 imóveis (residenciais e comerciais) desocupados somente na área central, com uma equipe de 05 servidores que também atuam como chaveiro para realizar as vistorias. O trabalho de atualização do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) continua sendo realizado nas sete regiões de Campo Grande. O levantamento é importante para mapear os pontos mais críticos e auxiliar nas ações estratégias a fim de otimizar as ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya e garantir que as mesmas sejam efetivas. Durante todo o ano de 2019 foram registrados 39.417 casos notificados de dengue em Campo Grande, sendo 19.647 confirmados e oito óbitos. Apesar dos números expressivos impulsionados pela epidemia do último ano, o mês de dezembro fechou com aproximadamente 45% a menos de casos registrados no ano anterior. Foram 355 notificações contra 519 de 2018. Para denunciar imóveis fechados ou construções abandonadas que possam conter focos, basta ligar para a CCEV, pelo telefone 3314-5080. Fonte: Correio do Estado

Matéria não encontrada!