revistadestaque@terra.com.br
(67) 3384-4384

Governo antecipa reabertura de eventos, cinemas, teatros e academias em SP para regiões na fase amarela

Cidades como a capital paulista e do ABC poderão reabrir espaços culturais após 4 semanas de permanência na classificação. Pelo plano inicial, abertura era prevista apenas para a fase azul.

03 de Julho de 2020
18:44
Foto: Celso Tavares/G1

O governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (3) a antecipação da autorização de reabertura de teatros, cinemas, salas de espetáculo, academias e a realização de eventos culturais para regiões que estejam na fase amarela do plano de flexibilização gradual da quarentena no estado. Serão permitidos apenas eventos com público sentado e a previsão é a de que a reabertura ocorra na capital paulista no dia 27 de julho, quando o município apresentará estabilidade de 4 semanas na fase amarela. "Lembrando que pra essa fase, esse setor, o funcionamento está previsto depois que a região tiver uma estabilidade de 4 semanas nessa fase amarela. Então não é funcionamento imediato a partir de segunda-feira, tem essa previsibilidade de 4 semanas", disse a secretária de desenvolvimento econômico Patrícia Ellen em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (3). As entidades dos setores econômicos de eventos e atividades culturais, como, por exemplo, cinemas e teatros, ainda terão que elaborar o seu protocolo de funcionamento e ter o documento aprovado pela vigilância sanitária. No entanto, o Governo de São Paulo estabeleceu algumas restrições que deverão ser seguidas para reabertura, são elas: Ocupação máxima deve ser de 40%; Público deverá permanecer sentado; Uso de máscara obrigatório; Venda de ingressos exclusivamente online; Assentos devem ser marcados respeitando o distanciamento social; Alimentos e bebidas não poderão ser consumidos nos estabelecimentos; Adoção de protocolos específicos; Eventos deverão controlar o acesso e o número de pessoas, observando a lotação máxima; Funcionamento de até 6 horas por dia; O Brasil tem cerca de 300 mil empreendimentos culturais e, segundo entidades do setor, aproximadamente 40% deles estão no estado de São Paulo. O segmento cultural é uma das atividades econômicas mais prejudicadas pelas restrições contra a pandemia do coronavírus no estado. Com relação às academias, de acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, o funcionamento tradicional do setor só será permitido na fase 4 (verde). Na amarela, os treinos terão que ser individuais. "Lembrando que academias no modelo tradicional estão previstas para funcionar na fase verde. Nessa etapa, o que elas podem ter de funcionamento validado pelo centro de contingência, é uma ocupação máxima de 30% da capacidade total, funcionamento máximo de 6 horas, e as atividades individuais são permitidas, somente as individuais, permitidas através também de agendamento, adoção dos protocolos específicos, uso de máscaras, agendamento prévio, e também seguimento dos protocolos definidos, com destaque pra limpeza intensificada dos equipamentos, 3 vezes ao dia, e restrição do uso dos vestiários", disse Patrícia Ellen. A gestão estadual ainda apresentou algumas regras para que as academias das regiões classificadas na fase amarela possam ser reabertas, são elas: Respeitar a capacidade máxima de 30%; Uso obrigatório de máscara; Agendamento prévio de clientes; Funcionamento reduzido de 6 horas diária; Apenas aulas individuais são permitidas; Protocolos específicos para o setor ainda terão que ser aprovados; Utilização de chuveiros de vestiários está suspensa, sendo permitido apenas banheiros abertos; Equipamentos devem ser limpos ao menos 3 vezes ao dia; Além da reabertura de setores que estavam fechados, a fase amarela também permite a ampliação do horário de funcionamento de atividades que já estavam liberadas na fase laranja. O comércio de rua e os shoppings podem funcionar 6 horas por dia, contra as 4 horas diárias atuais. Escritórios, concessionárias e imobiliárias, que também estavam liberados para abrir na fase laranja, poderão estender o horário para 6 horas diárias a partir de agora. Salões de beleza, bares e restaurantes O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou que vai assinar neste sábado (4) o protocolo de reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza na cidade. A assinatura será feita às 11h, conforme adiantou Covas durante coletiva de imprensa do Palácio dos Bandeirantes nesta sexta-feira (3). O governo do estado determinou que os bares e restaurantes só poderão funcionar durante o dia nas cidades que alcançarem e se mantiverem na fase amarela do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena. A gestão estadual também indica que o horário de funcionamento não deve ultrapassar o período de seis horas diárias. Os protocolos para retomada de atividades culturais e de academias, setores que também foram liberados na fase amarela da quarentena, na qual se encontra a capital, ainda estão sendo avaliados pela Prefeitura. "A partir de hoje a gente começa uma discussão interna com a vigilância sanitária do município, dada essa nova decisão do governo do estado de São Paulo, de poder, já na fase amarela, reabrir as academias e também retomar atividades culturais. Assim que a prefeitura definir quando que isso será feito no município, nós comunicaremos a todos vocês", disse Bruno Covas. Nesta sexta-feira (3) a gestão estadual ainda reforçou algumas regras para o funcionamento dos bares e restaurantes, são elas: Ocupação máxima de 40%; Funcionamento máximo por 6 horas, até as 17 horas; Operações devem ser limitadas a ambientes ao ar livre ou arejados, com obrigatoriedade de assentos; Uso obrigatório de máscara; Adoção de protocolos específicos. Com relação à reabertura dos salões de beleza, os estabelecimentos também deverão seguir algumas regras, são elas: Ocupação máxima de 40% da capacidade; Funcionamento máximo por 6h diárias; Uso obrigatório de máscaras em todos os ambientes; Adoção de protocolos geral e específicos para o setor. "Na fase amarela é permitido o funcionamento a partir de segunda-feira (6) dos salões na capital, na região sudoeste e na região sudeste da Grande SP, com ocupação máxima de 40% e funcionamento reduzido de 6 horas, com obrigatoriedade do uso de máscaras e a adoção dos protocolos pra esse setor. Os protocolos têm detalhamentos importantes, como, por exemplo, agendamento e distanciamento, então são protocolos que precisam ser cumpridos, conhecidos e implementados por todos nesse setor", disse a secretária de desenvolvimento econômico, Patrícia Ellen. Fonte: G1

Matéria não encontrada!